quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Estudo X Probabilidade de Conseguir Trabalho

É possível assegurar que existe uma correlação positiva entre anos de estudo e probabilidade de conseguir ingressar no mercado de trabalho? Sempre imaginei que sim, mas agora estou descobrindo que esta correlação positiva possui um limite e a partir deste limite ela começa a se tornar negativa. Ou seja, quanto maior sua qualificação menor as chances de ingressar no mercado de trabalho.

Estou tentando ingressar no mercado de trabalho desde maio de 2006, quando solicitei meu afastamento do cargo de Secretário de Finanças de Vale do Sol para ingressar no setor privado. Em março de 2006, para aumentar minhas chances de ingressar no setor privado resolvi começar um MBA.

Estou para concluir o MBA no mês de agosto deste ano e o que estava planejado para ser um diferencial ou um facilitador para o ingresso no mercado de trabalho, está se tornando um dificultador.

Claro que não quero culpar somente a qualificação (via anos de estudo) pela dificuldade de ingresso no setor privado, acredito que o fato de não ter em meu currículo experiências no setor privado possa estar prejudicando também.

Veja uma das respostas que recebi:


Boa tarde, Davi!
Confirmamos e agradecemos o envio do seu currículo para a vaga de Analista de Remuneração da Seara. Ele foi avaliado mas está muito além das exigências determinadas pelo cliente. Você poderá cadastrar seu currículo diretamente em nosso site
e participar de outros processos seletivos.

Conversei com outras pessoas, estas já com experiência no setor privado e me falavam da mesma dificuldade de ingressar no mercado de trabalho com maior gradução que a minha.

Não consigo imaginar a lógica econômica deste fato. Para mim, quanto maior a qualificação, maior o retorno marginal que posso proporcionar à empresa. Mas ao que parece a lógica não é bem esta. Alguma outra sugestão?

7 comentários:

Avinash Goldfish disse...

Isso que você identificou é verdade em geral: quanto mais você estuda, em menos lugares você pode trabalhar. Quem não tem nenhum estudo pode trabalhar em qualquer uma dos 45 milhões de domicílios brasileiros como empregado doméstico; quem tem o segundo grau pode ser lixeiro em qualquer dos 5 mil municípios brasileiros. Agpra vá você tentar arrumar um emprego com um Ph.D., pra ver o que é bom...

Muitas vezes as firmas não querem contratar alguém "overqualified" ou porque essa pessoa vai ter expectativas naturalmente maiores (de salário, influência, etc), e a empresa já sabe que ter um underachiever na equipe é ruim pro moral de todo o mundo, ou porque o responsável pela vaga tem incentivo a olhar pro seu (dele) emprego antes de olhar pro bem da firma...

Cláudio disse...

O que o Goldfish falou é o que eu vi nas empresas onde trabalhei. É regra geral da área de RH evitar ao máximo a contratação de pessoas mais qualificadas do que o cargo exige. Se formos analisar friamente, as chances de uma pessoa aceitar um trabalho por necessidade e depois começar a cavar a qualquer custo posições maiores existem sim. Vejo isso todo o dia. O ideal é você enviar sempre um currículo montado de acordo com a vaga que você está buscando, tentando mostrar que você é bem qualificado para aquela vaga e não para outras acima dela.

Davi disse...

Já pensei em fazer isto, formatar meu currículo de acordo com a vaga em questão, mas estaria omitindo informações.

Esta omisão não poderia vir a me prejudicar no momento da entrevista?

Rafael Martín disse...

Meu Deus, que bobagem. Duas perguntas:

1. Em que o seu MBA aumentou sua habilidade de fazer uma empresa conseguir alcançar seus objetivos?

Se em nada, você está ferrado e jogou dinheiro no lixo.

Se em alguma coisa: 2. Em que empresas as habilidades que você aperfeiçoou seriam úteis?

Se em nenhuma, você se lascou.

Se em algumas: 3. Comparado com as pessoas que trabalham nas empresas para as quais seriam úteis as habilidades que você adquiriu no MBA, você é melhor ou pior do que eles?

Se melhor ou pelo menos igual, seu MBA serviu para lhe colocar neste meio. Vá atrás das empresas certas, use sua rede de contatos, se mexa.

Se pior, o desafio é encontrar um lugar que pague para você desenvolver seu potencial.

Se não encontrar, você se lascou outra vez.

Sobre as generalizações dos comentários, posso informar que sou testemunha de várias pessoas conseguindo seus empregos pós-MBA. Para estas pessoas, overachiever é o mínimo.

Davi disse...

Caro Rafael Martín,

Concordo com suas hipóteses. E provavelmente temos várias outras além destas.

Mas estou compartilhando as dificuldades por mim enfrentadas das respostas que estou recebendo.

Há a possibilidade das agências de recrutamento estarem omitindo habilidades em mim inexistentes? Há, mas destas não posso fazer comentários por não ter conhecimento delas.

Cláudio disse...

Davi, não há problema você mencionar isso na entrevista posteriormente e ter a chance de mostrar o seu valor e de convencer o entrevistador de que o seu MBA ou qualquer outra qualificação não constituirá um problema. O problema é chegar até a entrevista.

É preciso entender que o recrutador recebe zilhares de currículos para analisar e precisa utilizar algum tipo de critério para selecionar um conjunto inicial de candidatos aos quais ele dedicará mais atenção. Os departamentos de RH são recheados por teorias idiotas de como fazer isso. Uma delas é jamais chamar alguém superqualificado para o cargo.

Tenha em mente que o recrutador, como todo funcionário, quer desempenhar a sua tarefa da forma menos arriscada e mais fácil possível (comentário dilbertiano). ;-)

O responsável pela área de RH da minha empresa me deu essa dica: sempre adapte o seu currículo à vaga que está disputando.

Davi disse...

Obrigado pelas dicas Cláudio. Adotarei este tática nos próximos currículos a serem enviados.