sexta-feira, abril 13, 2007

Falta de Ambição?

A notícia é esta. Sob o olhar dos estrangeiros falta ambição aos investidores brasileiros. Colocarei alguns pontos para ver se realmente é falta de ambição ou há, por parte do governo, incentivos para que o empresariado brasileiro migre para outras formas mais seguras de aplicar seus recursos.

A fórmula abaixo diz respeito ao retorno esperado de capital próprio.

Re = Rf + B(Rm - Rf)

Onde:
Re é o Retorno Esperado
Rf é a taxa livre de risco
Β é o risco sistemático do ativo, em relação à média
(Rm – Rf) é o prêmio por risco da carteira de mercado

o Rf é taxa selic descontada a inflação. O B é o beta, que é o índice que cada setor do mercado brasileiro possui na bolsa de valores, geralmente toma-se por base o B utilizado na bolsa dos Estados Unidos por possuirem dados mais robustos e mais precisos. E o (Rm - Rf) é prêmio definido no mercado total na bolsa de valores.

Colocando números para demonstrar qual o retorno esperado, ou seja, o mínimo que se quer obter de retorno para fazer certo investimento.

  • Rf = 12,75% (selic) - 4,2% (inflação do período) = 8,55%;
  • B = depende de cada setor, utilizarei o do setor tabaco por estar morando nesta região = 0,5 (é um beta bastante baixoe conforme este beta aumenta, aumenta a exigência de remuneração);
  • (Rm - Rf) = Em geral utiliza-se no Brasil 8,2%.

Logo teremos:

Re = 8,55 + ,5(8,2)
Re = 12,65%

O mínimo que o investidor quer de remuneração de seu capital é 12,65%.

Agora façamos este mesmo cálculo para os EUA por exemplo:

  • Rf = 5,25% (Taxa de Juros americana) - 2,1% (inflação);
  • B = 0,5 (é a mesma pois no Brasil utiliza-se a americana);
  • (Rm - Rf) = utilizarei a mesma por não ter encontrado o valor americano 8,2%.

Logo:

Re = 3,15 + 0,5(8,2)
Re = 7,25%

Nos EUA o mínimo exigido de retorno é 7,25%.

Com estes dados podemos perceber que o investimento no Brasil precisa ser muito mais rentável para que ocorra o investimento. O artigo publicado pela revista "The Economist" não menciona estes cálculos. Mas a forma como foi noticiado no Brasil fica parecendo que o empresariado brasileiro é pouco ambicioso. Fica claro que não é falta de ambição.

2 comentários:

Barnabé disse...

Na verdade a matéria do G1 é uma leitura apressada do survey da The Economist: o ponto central do survey não é que os EMPRESÁRIOS brasileiros não têm ambição, mas justamento que o GOVERNO brasileiro não tem mostrado ambição no sentido de modificar o atual estado das coisas (i.e., fazer as reformas necessárias).

O BARNABÉ
http://obarnabe.blogspot.com

Davi disse...

Eu havia entendido, acho que definitivamente me expressei mal no post.

Gostaria de ter dado apenas mais uma opção da nossa estagnação econômica.

Na verdade os fatos levantados pela revista levam aos demais resultados.